Recente progresso na câmera de teste do LSST

28 de agosto de 2019 | LIneA

No dia 8 de agosto, o perfil do laboratório SLAC (Stanford Linear Accelerator Center) fez uma publicação em seu perfil do Twitter (com mais de 20 mil seguidores) sobre a instalação do primeiro “raft” científico no foco da câmera do Large Synoptic Survey Telescope (LSST) realizada pela equipe do SLAC. O tweet foi repostado pelo perfil do LSST (Figura 1): “A equipe de câmera do LSST instalou o primeiro dos 21 “rafts” científicos – conjunto três por três sensores de imagem de última geração; juntos, eles obterão imagens de 3,2 gigapixels do céu noturno, que, com o tempo, produzirão o maior filme astrofísico do mundo.” Atualmente, o time de TI do LIneA está desevolvendo um sistema de software para a visualização e validação dessas imagens imediatamente após eles serem adquiridas. Um protótipo do software (Figura 2) já foi apresentado a equipe da câmera. Após conversas realizadas com o responsável durante a reunião anual do LSST foi decidido que o objetivo agora é instalar o sistema nos laboratórios de Tucson onde a câmera de teste Comcam, com apenas um raft, está sendo montada para testes. Isto será o primeiro passo para a integração do sistema no laboratório do SLAC onde a grande câmera está sendo montada.

blank
Figura 1: Publicação repostada no perfil do LSST no Twitter.
blank
Figura 2: Interface expviewer sendo desenvolvida pelo time de TI do LIneA para visualização de imagens da câmera do LSST.

SLAC National Accelerator Laboratory é um Laboratório Nacional do Departamento de Energia dos Estados Unidos operado pela Stanford University sob a direção programática do Departamento de Energia dos EUA e localizado na Califórnia.

LIneA é um laboratório apoiado pelo Observatório Nacional (ON), Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), e pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), criado com a finalidade de dar suporte à participação brasileira em levantamentos astronômicos. O LIneA e o INCT do e-Universo também apoiam brasileiros participantes de grandes levantamentos astronômicos, como o projeto DESI, o DES e o LSST.

Deixe um comentário